Link

veja-tecnologiaÉ isso mesmo pessoal!

O ano nem acabou e já tem novidade pintando no mercado e lá vem ela, a “tecnologia” para aguçar a nossa curiosidade. Fusando o site uol, li esta matéria e achei bastante interessante não só para nós enquanto consumidores, mas também enquanto futuros publicitários. Visto que, temos que está cada vez mais antenados aos rumos que está tomando o mercado, assim como, a tecnologia tão importante hoje em dia na vida do consumidor contemporâneo

Portanto, segue link abaixo, espero que apreciem a matéria, porque achei relevante para nós estudantes do curso de publicidade!

http://olhardigital.uol.com.br/produtos/digital_news/noticias/apostas-para-2013-veja-quais-produtos-devem-chegar-no-ano-que-vem

Por: Tatiana Morais

por publiciarty
Nota

Imagem

É nestas horas que paro pra pensar, que não é a tôa que Deus permite dons tão sublimes a poucas pessoas…

Sobe ao céu hoje, o ícone da arquitetura moderna o nosso saudoso “Oscar Niemeyer”, nos sentimos tristes, mas profundamente agradecidos por tanta obra deslumbrante…

Oscar Niemeyer é uma referência para todos nós, por sua capacidade criativa e inovadora, revolucionou a arquitetura moderna servindo, portanto de inspiração não só para os amantes da arquitetura, mas para nós também estudantes de publicidade, visto que, sua criatividade aguça a nossa curiosidade de se espelhar nele para criar também os nossos desenhos gráficos por exemplo.

 

Muito obrigada!

 

Por: Tatiana Morais

E o salve de hoje vai para Oscar Niemeyer, “Ícone da Arquitetura Moderna”

por publiciarty

Mensuração dos dados obtidos e seus possíveis erros e acertos

metodologia-8-ps-do-marketing-digital-por-conrado-adolphoApós percorrer um longo caminho vasto de informações, estratégias e pesquisa, por sinal muita pesquisa, chega-se então a mensuração dos fatos, sendo eles extraídos corretamente ou não esta resposta só é possível aqui no 8º P.

Sabemos que a competitividade hoje em dia é por vezes baseada no melhor uso da informação, isso porque há muita informação acessível e gratuita, porém a diferença está no uso que fazemos dela.

A chegada da web 2.0 proporcionou um mundo de vantagens para vários âmbitos da sociedade, consumistas que somos, fomos invadidos por esses projetos e assim seduzidos e dependentes cada vez mais deles, os meios interativos.

O capitalismo de hoje não é visto mais com os mesmos olhares de alguns anos atrás, graças ao consumo desenfreado da sociedade que está cada vez mais dependente da internet em sua rotina diária, informação em tempo real x consumo participativo, hoje são duas vertentes que rondam o consumidor contemporâneo.

Partindo deste princípio, de dependência interativa e consumo, informação… Enfim tudo o tramita o mundo virtual assim como suas competências, sem mais rodeios partimos então, para mensuração dos resultados. O momento agora é analisar não só o que deu certo no processo mais aquilo que deu errado nas ações da campanha da empresa e seu ambiente virtual.

Destacarei, portanto duas ferramentas que em suma são de grande importância para muitas empresas hoje em dia: o facebook e o twiter, além de eficazes, elas permitem a facilidade que temos de saber as quantas anda nosso serviço na visão dos consumidores.

Por esse meio saberemos se a empresa cumpriu corretamente suas estratégias e em contra partida, se as ações chegaram ao consumidor de forma positiva. Houve realmente o esperado? E o aumento das vendas realmente aconteceu?

Na verdade os números é que traduzirão se a resposta foi positiva ou não. Os números negativos é que condena uma campanha desastrosa, os investimentos em ações de campanhas são claramente revertidos em números, por isso muito cuidado e atenção para todas as etapas dos 8 P´s do Markeing Digital.

8-ps-do-mkt-digitalFaço então uma ressalva dizendo seguramente que a presente leitura foi de extrema relevância não só para nós enquanto estudantes de Publicidade, mas de um modo geral pude acompanhar toda responsabilidade e possibilidades que o mundo virtual nos proporciona, me colocando, porém por vezes não só na condição de pesquisadora, mas sobre tudo de uma consumidora que a cada dia que passa estará cada vez mais atraída pelo meio interativo e seu mudo de vantagens.

Por: Tatiana Morais

 

por publiciarty

A personalização não é uma simples estratégia, é um atrativo que pode gerar lucros

Imagem

Diante de toda liberdade de expressão que com o passar do tempo a internet tem nos proporcionado, por hora daremos destaque aquele que tem sido a pulsão do complexo mercado digital existente, “o consumidor”.

O consumidor digital está cada vez mais exigente e consciente também do que quer seu poder de controle sobre os meios interativos faz dele cada vez mais exigente e participativo nas decisões de compra como também no rumo que as estratégias comerciais das empresas tomaram em decorrência de suas exigências e opiniões.

A palavra da vez é a personalização. A personalização do relacionamento depende não só do conhecimento de seu consumidor, mas também do conhecimento das ferramentas que serão utilizadas, pois relevância é o que se espera cada vez mais o consumidor contemporâneo.

Imagem

A personalização é seguramente o processo que permite estudar os hábitos e desejo do consumidor tendo também dentro deste pensamento a seguinte concepção, o importante antes de tudo além do conhecimento de mercado e consumidor é ter em mente que não é só a personalização do serviço ou produto que está em jogo, mas o fundamental, a comunicação, ela é o primeiro contato que se tem com o consumidor.

Determine as características positivas do seu produto, demonstre ao consumidor os benefícios que seu produto tem para que te possibilite identificar em que segmentação o seu consumidor se encontra. A percepção de valor por parte do consumidor é algo intangível a ideia é saber prosperar o valor de um produto para ele, para que haja benefício mútuo entre você, seu consumidor e sua empresa.

Crie estratégias que o faça entender que sua empresa, produto ou serviço é o que ele buscava. O cliente quando procura um produto ele prioriza a informação que está sendo fornecida a ele, portanto evite a dissonância cognitiva, não deixe que informações complicadas desperdicem o seu tempo e o do consumidor. Ele quer buscar, mas também quer encontrar o que de certa forma irá te beneficiar, ainda que seja somente uma informação.

A tecnologia possibilita que o nosso atendimento seja o melhor, faz com que o nosso produto seja o mais desejado, cada mercado tem seu critério de segmentação, a base é conhecer seu target para depois personalizar seu serviço as condições que ele exige, anseia e espera cada vez mais de nós enquanto serviço, produto ou empresa.

 

Por: Tatiana Morais

por publiciarty

Consumidor… consumo… informação… Viralização!!!

Imagem

A comunicação viral é considerada hoje por parte de muitas empresas sejam elas consolidadas no mercado ou não, como a mola mestre para repercussão de um produto no meio interativo. O livre acesso da banda larga para todas as classes sociais, bem como o poder de participação do consumidor no meio interativo hoje é o que proporciona cada vez mais a intensificação desta característica do mercado atual, a chamada “Comunicação Viral”.

É cada vez mais relevante e depende da vontade do consumidor, assim como, de suas amizades também. O que acontece é o seguinte, você cria artifícios publicitários para atingir certo consumidor, que em contra partida sente-se estimulado e a vontade para passar a mensagem para seus amigos e assim, intensificar seu produto ou marca em seu meio interativo.

Vendo por esse lado, é simples e acontece quase que instantaneamente, mas só depende único e exclusivamente de você, isso porque, depende da forma que você construirá a sua estratégia de marketing, tem que ser como em todos os p’s já mencionados, pensado, pensado e repensado.

Fica até redundante toda hora manter o mesmo vocabulário, o marketing, porque o marketing, sempre o marketing. Mas é assim mesmo, tudo depende dele e de suas estratégias, e a comunicação viral só acontecerá de maneira coesa, dependendo sempre das funcionalidades corretas das estratégias do planejamento de marketing.

Entender de fato o que o consumidor deseja é o principal para que aconteça a comunicação viral de sua marca, ele é o veículo é ele quem constrói a imagem da sua marca. Estar atento às redes sociais e prestar atenção no conteúdo que é veiculado por parte dos consumidores no mercado, facilitará a continuação de suas ações para cada vez mais poder está apto a suprir as necessidades dos consumidores.

O google, as redes sociais, os fóruns, os sites colaborativos que nos informará o que está acontecendo no mercado, não temos que adivinhar o que futuramente tornará um vírus e se ele acontecerá de forma instantânea ou não, o que importa aqui é estudar detalhadamente o consumidor, suas interações e exposições cotidianamente para está sempre adequando o seu planejamento aos sentimentos de consumo dele.

Ideias que se apoiam no grau de atividade do consumidor, é o que pode dar certo, claro caso sejam relevantes e de fácil disseminação. Lembremos sempre que o consumidor é nesse momento o divulgador do nosso produto, trabalhar a comunicação de forma significativa a fim de mexer com seus sentimentos é o que possibilitará o retorno financeiro para a empresa.

Sua empresa é somente uma plataforma que o consumidor utiliza para ter uma experiência de consumo, por isso é preciso facilitar a vida do consumidor para que ele tenha condições de está espalhando as informações de maneira positiva e rentável para seus amigos, e com isso o lucro quem ganhará posteriormente é você, seu produto e principalmente sua marca.

Para que o buzz aconteça, tudo depende não somente de bons argumentos, mas acima de tudo, clareza nas informações. Não venda uma ideia errada, propague a ideia, não confunda o consumidor participe juntamente com ele, não exponha somente o produto seja assim como o consumidor, o embaixador de sua marca.

 

Por: Tatiana Morais

 

por publiciarty

Promova interação com o seu cliente e faça de sua marca a melhor opção para ele.

Imagem

Atrelado à eficiência de um bom conteúdo, para que sua empresa promova sua marca na internet para o público-alvo certo, é muito importante usar a palavra de ordem dos tempos atuais da comunicação de uma marca, a “integração”. Pois o marketing digital de hoje é mais circular do que linear, assim diz o texto, quando destaca também que o conceito original de promoção acontece quando há um aprimoramento como forma de permitir o alinhamento correto de outras formas eficazes de divulgação de um produto ou serviço.

Sendo assim, podemos identificar que as promoções feitas em mídias tradicionais não são mais as principais alternativas de estratégia promocionais, ainda que elas sejam utilizáveis, seus dias de sobrevivência hoje são razoáveis à medida que a população de países cuja IDH menor não estejam plugadas ainda, da maneira significativa a estes meios. Citarei como exemplo as revistas e os jornais que por hora encontra-se a cada dia com a necessidade de definir seu mercado para ter condições de criar seus conteúdos para o leitor. Esta necessidade é por vezes notória ainda mais quando se trata de mídias que tem seu valor no mercado, mas que não tem um aspecto viral comum aos que se tem nos dias de hoje. Por isso, toda promoção tem que ser viral por conta do mercado pulverizado que temos hoje.

Um bom começo para a ação promocional de uma marca começa pelo monitoramento dos consumidores, os então chamados também de “prossumidores” (consumidores e produtores de seu próprio conteúdo). Ao navegar pelo meio interativo você perceberá por meio do pensamento do consumidor, quais são as percepções dele quanto as suas ações de propaganda e o valor de sua marca para ele.

Na escassez de atenção em que vivemos é muito importante fazer com que as promoções criadas por nós sejam integradas na economia digital, ou seja, planejar de maneira criativa e adequada para cada um dos meios que serão veiculados, até porque a promoção de uma campanha nada mais é que, a utilização de ferramentas para divulgar um conteúdo. Porém atingir esse consumidor só será possível com a ajuda da divulgação feita online e offline através das conversas entre as mídias, fica, no entanto mais acessível à veiculação de seu conteúdo.

Dentre as várias estratégias de comunicação promocional, estão também à utilização de links patrocinados, eles por sua vez, trazem para o site tipos variados de clientes que ficam mais tempo no site do que os outros que vêm por meio de outras mídias, ou seja, o usuário do site naquele momento além de comprar no site, poderá também virar cliente fiel. Imagem

A propaganda em links patrocinados ocasionou sem sombra de dúvidas, como afirma o autor, uma revolução em toda a internet, por transformar empresas pequenas em empreendimentos multimilionários e sustentáveis. O texto mesmo afirma, quando diz que a atração do link patrocinado só acontece sobre empresas de todos os portes, através da democratização da veiculação e sua assertividade quanto à divulgação de uma mensagem para o público-alvo correto. Além de todas estas vantagens, a maior delas, é comprovadamente o fato de o anunciante só aparecer com o anúncio, quando o usuário procura o seu produto.

Atenção e conhecimento na web são fundamentais, a viralização é corroborativa, mas também pode ser o desgaste para a marca. Pois quando as pessoas navegam na rede elas não querem ver só um anúncio, elas procuram se relacionar com as marcas, para isso é necessário então, promover o bom entendimento da mensagem já que a mesma será disseminada a outras pessoas.

A principal lição aqui é, portanto, fazer a interação constante com o consumidor para que possamos ter condições de transitar no meio social de maneira agradável sem que tenha que incomodar nossos promissores clientes, e, portanto agregá-los de maneira satisfatória ao nosso meio com o objetivo de atraí-los para nosso produto ou serviço.

 

Por: Tatiana Morais

 

 

 

 

 

 

 

por publiciarty

4º P – Conteúdo, Conversão e Consumidor, assim se fedeliza uma relação

Imagem

Elaborar um texto que contenha clareza e objetividade, onde as ideias estejam eficazmente organizadas nem sempre foi uma tarefa fácil por conta da imensidão de informações que são direcionadas cotidianamente para o consumidor. Pois bem, o P aqui proposto para leitura de hoje nos permitirá aprofundar em conceitos técnicos bem como, informacionais que nos disponibilizará aprendizado, para fazer com que o consumidor sinta-se atraído pelos enunciados afim de que desperte nele não só o desejo de compra, mas também fazer com que ele acompanhe e interaja em torno de uma marca ou de alguém.

Segundo o autor o início de qualquer ação digital parte primeiramente do conhecimento do mercado que você irá trabalhar, ou seja, monitorar o mercado para então fazer uma análise das intenções do consumidor através dos mecanismos de busca. Ele permitirá saber o que o consumidor digita e em contra partida o que deseja naquele momento. Para isso deve-se apropriar-se de palavras- chave, estratégia que facilitará a encontrabilidade como também um bom posicionamento no google e por hora o “market share” para a empresa.

O site tem que ser adequado para o google,de forma que ele tenha uma programação preparada e com conteúdo em abundância que contemple as palavras-chave a qual foi proposta pela empresa. Segundo o autor, o site tem que seguir dois caminhos, o primeiro é o conteúdo “in site” importante para que se consiga uma boa colocação no google, mas também para persuadir o consumidor afim de que ele sinta que sua empresa é a melhor opção para ele resolver seu problema. Já o outro é o “off site” conteúdo colaborativo desenvolvido por seus próprios usuários em sites 2.0, é onde sua marca está presente produzindo conteúdos.

Sabemos que um bom conteúdo gera referências, que proporcionam credibilidade para a marca, hoje podemos usufruir da interatividade para criar uma relação mais prolongada com o mercado, o fato de o consumidor participar da construção do site criando seu próprio conteúdo nele, facilita a encontrabilidade. Além de o conteúdo colaborativo ser uma ferramenta poderosa para geração de conteúdo inédito, é importante também para criar uma relação mais sólida entre o consumidor e seus produtores, já que a participação do usuário ocasiona por sua vez uma relação mais sólida entre o consumidor e a empresa.

O consumidor de hoje é muito mais exigente, isso se deve ao fato de ele enquanto usuário ser muito mais ativo no meio virtual, e se permitir escolher seus caminhos e suas próprias decisões. Eles enquanto consumidores 2.0, não querem mais conviver com a ideia de que a mídia dita o que ele deve ver e fazer, por conta da imensidão de informações, entretenimento, eles tornam-se muito mais exigentes a cada uma delas, o monitoramento é, portanto, é uma regra para que consigamos, no entanto encontrá-lo e adaptar as nossas estratégias a eles. Independente do veículo de comunicação que você for utilizar tenha certeza de que os conceitos da web não estão nos veículos, mas sim nos consumidores, por isso o ideal é ter um comportamento multidisciplinar para então saber agir e fazer as estratégias comunicacionais para eles. Dentre as opções está a de estar onde o consumidor está claro sem esquecer-se de evitar o possível inconveniente o então chamado “spam offline”, ou seja, estar em todos os lugares custa caro e além do mais cansa o usuário e causa poluição visual, como também pode resultar no efeito contrário.

Dado momento do texto, foi explicita a seguinte frase: “Você é o que você publica”, pois bem, é fato! Falar de suas experiências e o quanto você e sua empresa é confiável pode ajudar a resolver o problema de alguém ou até mesmo despertar o interesse de visitar ou conhecer um pouco de sua história, contar boas histórias pode ser um bom começo para tentar de certa formar trazer aquele usuário para sua empresa. Pois, quanto maior sua presença na rede, mais confiável você parecerá, como mais conhecedor do assunto será percebido e mais seguro o comprador ficará para fazer negócio com você.

Por fim, entendemos com a presente leitura que o site deve ter conteúdo persuasivo, onde substitua a figura do vendedor físico, para assim, reter o consumidor e gerar credibilidade nele. Caracterizado como o P do marketing digital mais extenso o 4º P tratou basicamente de dois tipos de conteúdo: aquele que você publica no site por meio da busca do google para atrair consumidores, mas também como você deve postar conteúdo voltado para o público-alvo contemplando elementos persuasivos com o objetivo estratégico de transformar visitantes em clientes.

Portanto, o conteúdo que você produz, é o que estimula, é o que faz com que o cliente interaja com a marca e assim manter um relacionamento não provisório, mas acima de tudo sólido com ele, o conteúdo soma e transforma, seja um texto ou um vídeo, o que fará a diferença é o que ele somará à personalidade da pessoa que está lendo.

Por: Tatiana Morais

por publiciarty

II Fórum de Mídias e Negócios contou com a participação do brilhante publicitário e jornalista, José Luiz Tejon confira!

E o nosso “Salve” aqui do blog hoje vai para José Luiz Tejon Megido publicitário e jornalista, é um dos precursores do agronegócio no país, é especialista em marketing pela Pace University de Nova Iorque e Agribusiness pela Harvard Business School, mestre em arte e cultura pela Universidade Mackenzie. Doutorando em Ciência da Educação pela Universidad de La Empresa, no Uruguai.

Enfim, esse início é só um aperitivo do brilhante curriculum de Tejon ao final, terá mais sobre ele aqui no blog. Agora falaremos um pouco do que foi discutido em sua palestra no último dia 07 de novembro, quarta-feira em sua visita aqui em nossa cidade, onde todos nós fomos agraciados com tanto conhecimento, experiência e profissionalismo.

O palestrante em questão vem a Vitória da Conquista com a palestra cujo tema é “Comunicação: O código da superação pessoal e empresarial”. Tejon inicia seus trabalhos dizendo que: “A dúvida é um problema ao mesmo tempo em que salva, ela mata. E que enquanto a dúvida atrasa a nossa vida, o engano pode nos matar”.

Tejon propõe com esta frase voltar os nossos olhares para a comunicação e dizer que os possíveis erros que geralmente acontecem, são por conta da falta de conhecimento que temos de nós mesmos. Segundo ele, o engano sobre a comunicação não pode haver, porque o ser-humano vive de comunicação.

Existe a comunicação intrapessoal, massa, interpessoal e pessoal. Para ele, como nós nos vemos é o segredo da comunicação, a “Comunicação Intrapessoal”. Isso se deve ao fato de todas as pessoas terem se transformado em mídias, ele pontua uma ideia durante a palestra de que o mundo virou uma coisa de poucos para muitos. E assim sendo, estima-se que nos próximos 10 anos, as pessoas se transformarão em uma estação de emissão de mensagens.

O mundo mudou, não basta hoje você ganhar somente alguma coisa (prêmio), deve-se conquistar também a “audiência”. A sociedade de hoje é dependente de informação em tempo real, e a audiência citada por Tejon acontecem por meio delas, “as pessoas”. Antigamente as informações chegavam vagarosamente, e por sua vez as pessoas se acomodavam com o tempo e com o vagar das informações que a elas eram fornecidas, as informações eram cumulativas e suficientes para as pessoas. Hoje a mudança está na velocidade, a dinâmica agora é constante.

Voltando a falar de comunicação, partiremos agora para a construção da mensagem, onde tudo começa e como começa. Tejon diz que a comunicação interna do ser humano acontece quando você se pergunta: O que eu aprendi a aprender? O que eu preciso conhecer, para conhecer-me ao mesmo tempo?

Esse talvez seja o sucesso do Marketing Moderno, colocar-se então na condição de cliente para assim, criar estratégias para ele. Descubra o que seu cliente ainda não sabe que quer e apresente a ele o que ele ainda não quer. Pois, não interessa para o cliente o que você pode dar, ele quer o que você não pode dar. A comunicação não é real, é sonho, é desejo.

Outra frase muito interessante de Tejon que define bem esse pensamento é quando ele diz que a capacidade criadora envolta dentro de um sonho é a grande capacidade da comunicação social. Por isso, todas as partes interessadas da comunicação devem andar muito bem juntas, o planejamento é a base da comunicação, portanto muita atenção quanto a ausência de planejamento,  pois a dispersão é o grande erro da comunicação.

Adaptar-se ao meio interativo e as condições propostas por ele, também faz parte de um bom planejamento, até porque não se relacionar com a mídia é estar jogando fora, tempo e dinheiro. Segundo José Luiz Tejon o segredo do adulto para crescer, é imitar, aprender e aprender… “O produto é o que você faz na indústria, marca é o que acontece na mente do cliente”. O cliente busca a satisfação de seus desejos, no entanto as ideias, produtos etc. devem, porém acompanhar os 4 E´s que são oferecidos à eles: experiência, ética, excelência e estética.

“Nós somos o resultado de onde colocamos a nossa atenção e o nosso olho”.

“Olhar para gente o tempo todo, porque gente é gente”.

“Comunique muito, mas cuidado com a dispersão na propaganda”.

“Não conseguimos fazer nada sozinhos, tudo depende de um coletivo”.

José luiz Tejon finaliza sua palestra com estas brilhantes frases que servem de incentivo pessoal e profissional pra qualquer segmento, seja ele do meio publicitário ou não, seguindo tais dicas, é possível passar a mensagem ao cliente da maneira correta a ponto de satisfazê-lo e quem sabe dependendo de um bom planejamento espalhar sua marca no mercado e no mundo.

Quer saber mais sobre José Luiz Tejon Megido?  Siga o link abaixo:

http://www.arenabiz.com.br/index.php/palestrantes/jose-luiz-tejon-megido/

Por: Tatiana Morais

por publiciarty

Produzir para o consumidor e não para a empresa, assim é o 3º P!

ImagemDepois de passar por uma minuciosa pesquisa, partiremos então, para a parte prática. Com a ajuda do planejamento de marketing digital e das informações contidas nele, ficará então, não mais fácil, mas acessível à linguagem a ser construída para o site, e do site para o consumidor. É chegado o momento de trabalhar em prol da “plataforma de negócios”.

É fato que a tecnologia tem o poder de nos transformar em um único grupo, mas é certo dizer também, que quando pensamos em indivíduos, temos que nos apoiar no grau de conhecimento e transformação de cada um. Isso significa dizer, que temos que fazer com que o acesso à nossa plataforma (site), seja voltado a todos que se interessam pelo nosso negócio. Para tanto, é necessário que as estratégias e técnicas estejam apuradas, para dar condição de captar o tempo do usuário, afim de que seja perceptível nele que sua página ou conteúdo seja relevante o bastante para que ele usufrua seu tempo aproveitando-a.

O site de uma empresa é o resumo de sua histórica trajetória, onde é demonstrado o posicionamento de mercado, produtos, serviços, política de preço entre outros. A tecnologia de um site é a base para ser desenvolvida a forma do projeto, características que são alcançadas seguindo corretamente os quesitos da encontrabilidade e usabilidade, e as funcionalidades que demandam as estratégias do marketing. Isso facilitará a motivação do consumidor em estar cada vez mais envolvido com o seu ambiente virtual, ambiente este que terá que estar cada vez mais, programado para o consumidor e não para a empresa.

A construção do wireframe (esqueleto do site) é conhecida como a arquitetura de informação, nele é discutido e pensado o layout, e como deve ser feito. Na verdade trata-se de um trabalho conjunto onde estão ligados o marketing, design, conteúdo e a tecnologia. Sem o apoio do wireframe, fica complicado discutir as possíveis mudanças uma vez que é importante frisar, que todo o grupo pensou sobre o mesmo objetivo.

Sobre a plataforma do site é importante salientar, que todo seu desenvolvimento seja voltado para a alternância de diversos elementos distintos na interface, para que seja disponibilizados segmentos do mercado a quem o consumidor deverá visualizar isso facilitará a procura do mesmo, logo fornecerá a quem visita o site certa comodidade. Até porque sabemos que, quando um usuário visita um site, ele busca a solução dos seus problemas, satisfazer seus desejos ou determinada necessidade. No entanto, é interessante e sobre tudo necessário, que haja aplicativos disponíveis para que ele possa escolher o melhor produto com a melhor funcionalidade que condicione a ele, a melhor usabilidade do site.

Tais aplicativos terão que cumprir três funções: aumentar o tempo de retenção do consumidor no site, assim como a taxa de conversão para então, ir à busca da propagação. São, portanto, etapas sucintas, mais de grande importância, porque são por meio delas que teremos a descoberta sobre o problema que o usuário tem, e não o que a sua empresa vende. Assim disse o autor: “Um site que tenha valor e relevância para o usuário cria uma percepção de qualidade, competência, credibilidade, proximidade e vários outros sentimentos necessários para captação e a fidelização de um consumidor”.

Para que ocorra tal fidelização acima citada, é importante também disponibilizar ao consumidor, que no caso é antes de tudo um leitor, conteúdo relevante, visto que não é aconselhável colocar todo o conteúdo em uma só página, o ideal é hipertextualizar o conteúdo para que várias páginas do site compreendam tudo aquilo que o consumidor lê em sua página, permitindo, porém a liberdade de se aprofundar cada vez mais na informação.Imagem

Perante tudo que foi proposto pelo 3º P, pontuarei aqui, alguns dos Ps que acompanham este importante processo de produção. Segue:

  • 4º P – Publicação: A estrutura do site deve ser fácil de utilizar para que toda e qualquer publicação que precise ser inserida possa ser feita de forma rápida como é a própria internet.
  • 5º P – Promoção: Tem que ser pensada para que seja propagada. Para que as pessoas que a recebem passem-na para frente, propagando-a e continuando com a promoção.
  • 6º P – Propagação: Assim como o 5º P da promoção, o 6º P também tem que ter áreas gerenciáveis no site de modo que o departamento de marketing possa alterar uma frase ou melhorar a comunicação que os consumidores-veículo passarão para frente.
  • 7º P – Personalização, principalmente da comunicação: O site deve ter uma área em que o usuário veja os últimos newsletters enviados. Estrutura esta, que deve ser pensada desde o início da plataforma e deve ser alimentada pelo marketing também de forma intuitiva e imediata.
  • 8º P- precisão: o marketing deve ser o início o meio e o fim do processo, no que tange a dar todas as diretrizes e criar o conceito, mensurar cada resultado a acompanhar cada visita para corrigir os rumos da campanha e para, posteriormente, validar a interface, o conteúdo e a tecnologia utilizada.

Diante do que foi lido, percebe-se, portanto que a base da comunicação do novo milênio é concerteza a integração. Sem as mídias que antes eram desprezadas pelo marketing, seriam impossível através destas assim chamadas mídias tradicionais, chegar-se a números consideráveis em nível de propaganda, como os que se tem hoje, assim como,os que ainda estarão por vir.

Por: Tatiana Morais

por publiciarty